top of page

Inverno e asma: conheça alguns gatilhos para crises



Para aqueles que enfrentam a asma, o inverno pode ser um momento particularmente difícil do ano. 

 

Nessa época, diferentes fatores ambientais surgem, e eles nem sempre estão associados ao frio, mas à falta de umidade que acomete, por exemplo, as regiões mais áridas do Brasil e que, também, podem desencadear as crises de asma.


Compreender os gatilhos para o quadro e adotar alguns cuidados simples podem fazer toda a diferença para atravessar o inverno com saúde e bem-estar.


 

Compreendendo a asma


A asma é uma doença inflamatória que leva ao estreitamento dos brônquios e dificulta a passagem do ar para os pulmões.


Em quem tem asma, a inflamação dos brônquios é crônica e está sempre presente, mesmo quando não há sintomas aparentes da doença. No entanto, a exposição a agentes desencadeadores, também chamados de gatilhos, aumenta a inflamação dos brônquios, causando sintomas típicos da asma.


Esses sintomas incluem tosse seca, chiado, aperto no peito e dificuldade para respirar.


Como o frio e o tempo seco desencadeiam a asma?


Tanto o ar frio quanto o tempo seco, típicos do inverno, são gatilhos para a asma. Eles irritam as vias respiratórias, intensificando a inflamação dos brônquios e agravando os sintomas.

Para piorar, nessa época do ano, em muitas regiões onde o frio é mais intenso, é comum resgatar cobertores e roupas mais quentinhas que ficaram guardadas por muito tempo em armários, acumulando poeira, ácaro e mofo. Uma vez inalados, esses elementos irritam as vias respiratórias e os pulmões, piorando as crises de asma.

 

Como lidar com os gatilhos da asma?



A prevenção de crises de asma e o manejo adequado dos fatores desencadeantes contribuem para uma vida mais confortável a quem precisa conviver com a doença.

Além do ar frio e seco, outros gatilhos para as crises de asma podem desencadear crises, impactando a qualidade de vida. No entanto, medidas simples podem ser adotadas no dia a dia para mitigar o problema. Confira:


  • Ácaros e fungos - presente em locais em que há acúmulo de poeira, como colchões, carpetes e estantes, eles aumentam a inflamação dos brônquios. Para reduzir esse risco, limpe regularmente tapetes, cortinas e objetos propensos a acúmulo de pó.

  • Infecções virais - infecções respiratórias, como gripes, podem desencadear crises asmáticas. A vacinação contra a gripe é uma medida preventiva importante, pois protege contra infecções que podem agravar a asma.

  • Animais de estimação - pelos, saliva, urina e descamação da pele de animais de estimação são gatilhos para crises de asma. Se não for possível evitar a presença dos animais, é crucial reforçar a limpeza dos ambientes para reduzir a exposição a esses alérgenos.

  • Fumaça de cigarro - é extremamente prejudicial para quem tem asma, podendo desencadear crises e agravar a inflamação dos brônquios. Evitar fumar e manter-se longe da fumaça do cigarro são medidas essenciais para proteger a saúde respiratória e prevenir complicações associadas à asma.


Prepare-se para a chegada do inverno



Para evitar crises agudas e garantir invernos mais tranquilos, é importante que quem tem asma esteja com os cuidados para a doença em dia desde o início da estação.


Uma boa estratégia é realizar consultas de rotina para garantir estabilidade e minimizar os riscos de complicações.


Por ser uma condição crônica, a asma requer acompanhamento médico regular e medicação constante, e os tratamentos disponíveis são eficazes na melhoria dos sintomas e no controle da doença.





Este artigo foi publicado no Portal de Saúde - Unimed Brasil.

Texto: Agência SA 365 | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fontes: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, Universidade de São Paulo, Hospital do Coração

3 visualizações

Comments


bottom of page