top of page

Atividade aquática: exercício e diversão debaixo d’água



Atividades como natação e brincadeiras aquáticas são ótimas opções para todas as idades. Elas divertem, ajudam a manter o corpo ativo e, no verão, aliviam as altas temperaturas. Mas elas podem ser feitas durante todo o ano, viu?


Natação para todo mundo

 

A natação é um exercício que trabalha todos os grupos musculares, melhora o ritmo respiratório e não tem impacto nas articulações, ao contrário da corrida, por exemplo.

 

Como a atividade é praticada na água, quase não há gravidade e a chance de ter uma lesão é mínima. E o melhor: segundo o Ministério da Saúde, pode ser feita por pessoas de todas as faixas etárias.

 

A natação ainda alonga o corpo e contribui para articulações mais soltas e flexíveis. Além disso, fortalece o coração e reduz as chances de doenças cardiovasculares.

 

Por fim, também segundo o Ministério da Saúde, a natação reduz o nível de diabetes, melhora o colesterol e, para quem quer/precisa, ajuda a perder peso.


Bebês na piscina



Bebês e crianças se beneficiam dessa atividade, pois ela melhora a postura, a coordenação motora e a função cognitiva, além de estimular a engatinhar. As aulas também ajudam os pequenos a socializar entre si.

 

De acordo com especialistas, quanto mais cedo o bebê começar a praticar, maior será o estímulo motor e melhor o desenvolvimento de funções básicas do movimento. A idade recomendada é a partir dos seis meses.

 

Nesta faixa, o bebê já tomou as principais vacinas e o duto do ouvido está bem desenvolvido, o que reduz as chances de infecções ao entrar na água. Antes de matricular seu filho, converse com o pediatra.

 

 

Confira mais benefícios da natação para bebês:


  • Desenvolvimento da noção de espaço e tempo

  • Estímulo do condicionamento respiratório

  • Melhora do sono e apetite

  • Aprimoramento do equilíbrio

  • Relaxamento mais profundo

 

Normalmente, as aulas para os pequenos têm músicas, o que torna a atividade ainda mais lúdica e prazerosa. Além disso, o aprendizado reduz o risco de afogamentos e desenvolve o senso de independência.

 

Cuidados básicos

 

Dar um “tibum” faz bem para todas as idades, mas alguns cuidados são importantes. Confira:

 

  • Nem jejum, nem barriga cheia: alimente-se pelo menos 1 hora antes dos exercícios na água

  • Use touca para proteger os cabelos. Se você tem cabelos longos, passe um pouco de creme nos cabelos úmidos para facilitar a colocação

  • Não deixe crianças sozinhas na piscina

  • Redobre a atenção nos movimentos de entrada e saída da piscina para evitar quedas, especialmente, entre idosos

  • Evite que bebês fiquem mais de 30 minutos na água para evitar o resfriamento do corpo

  • Água pra dentro: beba bastante água durante o dia também

  • Evite ficar com roupas molhadas depois do mergulho

  • Tome banho de chuveiro logo depois, para retirar os resíduos de cloro


Outras atividades aquáticas 



A natação não é a única opção de atividade aquática. A hidroginástica também ajuda a fortalecer os músculos sem comprometer as articulações. Já o polo aquático é um esporte coletivo que lembra o handebol, mas é praticado na piscina. Ele combina agilidade, coordenação motora e socialização;

 

Gosta de esportes na natureza? Mares e rios oferecem muitas possibilidades de diversão e exercício: surfe, canoagem, remo, kitesurf, mergulho.

 

IMPORTANTE: Para todas essas opções, antes de iniciar uma atividade nova, independente da idade, procure orientação médica. 

 

E tem também brincadeiras na água!

 

A diversão debaixo d’água pode ser um ótimo momento em família para se aproximar dos filhos e ainda colecionar boas recordações.

Independente do jogo escolhido, é importante que um adulto acompanhe as crianças para evitar lesões e afogamento.

 

Confira algumas:

 

Marco Polo: o grupo tira na sorte quem vai ser o “caçador” que, com os olhos vendados, deve ir atrás dos outros jogadores. Para se localizar, ele grita “Marco” e os outros respondem “Polo.”

 

Vôlei aquático: para essa brincadeira, você e sua família e/ou amigos vão precisar de uma bola e uma rede que divide a piscina ao meio. Separe os dois times e boa diversão!

 

Caça ao tesouro: esta é uma ótima opção para estimular a curiosidade e imaginação dos filhos que já sabem mergulhar. Esconda pequenos objetos no fundo da piscina, sem que ninguém veja, e depois peça para eles localizarem os “baús com moedas de ouro.”

 

Redemoinho: esta brincadeira é simples e precisa apenas do movimento coordenado dos participantes. O jogo consiste em percorrer o perímetro da piscina nadando, até que uma correnteza seja formada, ou um “redemoinho”. Dica: quanto mais rasa e menor a piscina, mais fácil.



Este artigo foi publicado no Portal de Saúde - Unimed Brasil.

Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fontes: Ministério da Saúde | Pool Rescue | Metodologia Gustavo Borges

 

84 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page